quinta-feira, 6 de Novembro de 2008

Ilha de São Miguel • Açores

Pin It As fotografias que aqui vêem fazem precisamente este mês um ano que as tirei.
Em conversa com uma amiga oriunda desta linda ilha fiquei com tantas saudades que resolvi partilhar convosco os bons momentos que passei em São Miguel.
Quem sabe vos servirá de inspiração, e vos levará a passar uns dias de descanso por lá?



Este texto foi retirado deste site e serve para dar a conhecer, de uma geral, a

ILHA DE SÃO MIGUEL - AÇORES.

São Miguel ou Ilha Verde. É a maior ilha do Arquipélago, situada a oriente juntamente com Santa Maria, formando o Grupo Oriental do Arquipélago dos Açores. Possui uma superfície de 759,41 Km2, comprimento de 65 Km e largura de 14 Km.
A sua descoberta deu-se por volta de séc. XIV, no entanto pensa-se, já existir cartas geográficas que indicavam a sua existência. O seu povoamento teve início a 1439, depois de D. Henrique ter mandado lançar gado em sete das ilhas do arquipélago, Aqui chegaram colonos portugueses vindos da Estremadura, Algarve, Alto Alentejo e estrangeiros oriundos da França (tradição presente no nome da freguesia da Bretanha).
Graças à fertilidade do seu solo e à sua posição geográfica, a ilha de São Miguel desde cedo, desenvolveu-se economicamente. Aqui se produziam enormes quantidades de trigo, pastel, urzela, vinho, lacticínios, batata-doce, milho, inhame, linho e laranja.
A laranja, exportada para Inglaterra, traz para a ilha de São Miguel, nos final do séc. XVIII, uma grande prosperidade e enriquecimento.
No entanto essa prosperidade é abalada em 1860, quando uma doença extermina por completo todos os laranjais, que sustentavam a ilha. Mas, graças à força de vontade dos seus habitantes, essa fase acaba com a introdução de novas culturas — tabaco, chá, espadana, chicória, beterrada sacarina e ananás que garantem a sobrevivência económica e a que vêm juntar-se, com o passar dos anos indústrias dos mais diversos sectores, incluindo a pesca e a pecuária.
Hoje, São Miguel, é o centro das decisões política e administrativa, uma ilha em franco desenvolvimento, com museus e monumentos, locais históricos com restaurantes, lojas, hotéis.
Um local de visita obrigatória.

Festividades
São diversas as festas realizadas na ilha de São Miguel, no entanto, é a festa do Senhor Santo Cristo a que mobiliza milhares de pessoas de todas as ilhas e de todo o mundo, principalmente emigrantes. Esta festa tem lugar em Ponta Delgada e é comemorada anualmente no quinto Domingo depois da Páscoa. A imagem do Senhor Santo Cristo, percorre em procissão as ruas de Ponta Delgada, sendo de seguida levada para o convento da Esperança. Estas festas possuem, não só, um componente religioso mas também profano, com feiras, exposições, e as tradicionais trasquinhas com comes e bebes.

Senhor Santo Cristo dos Milagres:



Gastronomia
Pratos como caldo azedo, os torresmos de molho de fígado, a linguiça com inhames, o assado misto, o polvo guisado ou assado, o arroz de lapas, as lapas de molho Afonso, as caldeiradas de peixe, os chicharrinhos com molho vilão, a morcela com ananás, e o cozido da caldeira, são algumas das especialidades que pode provar e que de certo não o deixará indiferente. Nos mariscos, temos, as lapas, as cracas, lagostas, cavacos e caranguejos. Na doçaria temos, a massa sovada, os bolos lêvedos, as malassadas, as queijadas de Vila Franca, as fofas da Povoação e as barrigas de freira doces tipicamente micaelense.
Há uma enorme diversidade de queijos na ilha, que vão desde os amanteigados aos mais secos, dos mais frescos, produzido de leite de vaca ou de cabra, aos mais antigos em que é necessário um período de várias semanas ou meses para fermentar e ganhar o tão característico paladar.
O ananás de São Miguel, é já uma referência a todos os que por lá passam que não deixem de o saborear. O ananás de São Miguel é exportado para todas as ilhas, bem como para o Continente.
Produz-se nesta ilha o vinho de cheiro, tipo morangueiro, sendo o mais conhecido, aquele que se produz na região da Caloura. Nos licores uma referência especial para os de maracujá e ananás. O chá, produzido na Gorreana e Porto Formoso é uma bebida a apreciar.

Morcela com Ananás:


Bife de Tubarão:


Bife de Atum:


Lapas Grelhadas:


Bolos Lêvedos:


Chá Gorreana:



Para Ver
Ilhéu de Vila Franca do Campo: Reserva natural, com piscina natural no seu interior fazendo lembrar uma concha. Poderá ser visitado de Junho a Setembro, através de barco, que faz a ligação a partir do cais Targarete em Vila Franca.

Sete Cidades: Com as suas lagoas, no interior de uma caldeira. A as Sete Cidades é um importante ponto de referencia turística na ilha e nos Açores.
As suas casas fazem lembrar um pequeno presépio onde a arquitetura típica da zona se mistura com o verde da paisagens.

Furnas: Localidade rica pelos seus fenómenos vulcânicos, como é o caso das suas fumarolas de água quente, lamas e águas medicinais. Ao todo as Furnas possuem mais de 20 nascentes termais, o que faz ser um dos locais com maior número de hidrópoles do mundo. Aproveitam as pessoas da terra, para fazer o afamado “cozido nas caldeiras”, que consiste em cozer, debaixo da terra quente, vários legumes, enchidos e carnes.

Nordeste: O mais florido conselho de Portugal e mais extraordinário, com sucessões de montanhas, desfiladeiros, ribeiras e miradouros, coberto por um manto de flores. Aconselhando-se ainda a visita ao ponto mais alto da ilha com 1105 metros de altitude, designado por Pico da Vara e a reserva do Pinhal da Paz.

Nordeste (onde existem algumas cascatas):







Guia Turístico
Paisagens de uma beleza de cortar a respiração com amplos espaços de tranquilidade entre verdes e flores, São Miguel é um lugar de férias para os que gostam de cultura, de desporto, ou simplesmente de contemplar a natureza.

Primeiro, são as lagoas que cativam o nosso olhar. Sete Cidades, é uma das mais bonitas, em que predomina o verde e o azul das suas águas. Lagoa do Fogo, dramática no seu enquadramento de lava e mar. Lago das Furnas, espelho de águas que parece saído de um conto de fadas, a que não falta a espiral gótica de uma capela. Depois, o Vale das Furnas, viçoso jardim no fundo de uma cratera, onde correm ribeiras de água quente. No seu interior, Parque Terra Nostra, onde se misturam exóticas espécies dos trópicos e de países frios. O vapor fervente das Caldeiras recorda a origem vulcânica da ilha.

Caldeiras:


Furnas, onde se coze nas Fumarolas o "Cozido das Furnas":





Caldeira Velha:


Lago das Furnas:







Praias de areia morena convidam a horas de alegria num mar aquecido pelas correntes do Golfo ou para pranchas de “surf”, ténis, hipismo, vela, pesca desportiva de alto mar.
Para terminar, a visita à única plantação de chá da Europa, todo o encanto de múltiplas paisagens feitas de pastagens e pachorrentas vacas malhadas, arvoredos espessos, e muitas flores e miradouros que cobrem a terra e o mar para dias de férias vividas intensamente.


O que mais lá vimos: Vacas!


Piscinas Naturais:


Lagoa das Sete Cidades:






19 comentários:

  1. De facto os Açores tem uma paisagem maravilhosa.

    Já tive na Madeira, mas ainda era adolescente e achei a ilha muito bonita. No entanto, sei que a beleza dos Açores é bem diferente...

    Tenho vontade de ir lá passar férias, e com essas fotos ainda mais me aguças a vontade de lá ir.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Olá Luísa Alexandra,

    Há exactamente 11 anos passei a minha lua-de-mel nessa ilha e adorei a gastronomia.

    Todos os anos sou fanática pelas feiras gastronómicas de Santarém e da Golegã e vou sempre claro está à tasquinha dos Açores comer a morcela, as lapas e não esquecer o bom vinho de cheiro... Que saudades!

    Bjs e continua com as tuas receitas que para mim são uma inspiração!

    Maria Santos

    ResponderEliminar
  3. Menina "Mázinha" eu aqui cheia de frio e sem férias à vista...e tu mostras-me essas maravilhosas fotografias com esse calor e essa paisagem estonteante!!!! Tou a brincar!!! Deve ter sido uma viagem inesquecivel!!! Era a minha viagem de sonho,já a muitos anos!!! Xiii coração.

    ResponderEliminar
  4. São Miguel foi o destino da minha primeira viagem amorosa com aquele que naquela altura ainda era só apenas o meu namorado. Hoje, comemoramos 8 anos de casados. :-)

    Que saudades!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Parece que São Miguel é a Ilha do Amor!!!
    Com todos estes casalinhos a irem lá!

    Elvira, parabéns pelo aniversário de casamento.
    Eu também sou uma noiva de Novembro!

    Breve colocarei uma reportagem da Madeira, destino que também gostei imenso.

    ResponderEliminar
  6. Bem que fotos espectaculares :)
    E tudo com bom aspecto...nham nham

    ResponderEliminar
  7. Ai que vontade de ir conhecer os Açores! Nunca fui lá, mas é um sítio que adorava visitar!

    As tuas fotos estão muito boas!!

    Jinhos grandes

    ResponderEliminar
  8. Um dos meus objectivos de vida é comer aquele cozido á portuguesa, diz-me é assim tão bom como dizem??

    As paisagens..... sem comentários!!

    Tenho apenas uma questão:

    - como consegues ser tão boa cozinheira, e doceira, e teres essa figura invejável?!?!?!?!

    Conta-me tudo, é que eu até os cheiro das coisas me engorda!!! lol

    Beijito

    ResponderEliminar
  9. Que lindas fotos... adorava conhecer os Açores! Talvez um dia consiga lá ir passar umas belas férias, ou quem sabe uma lua-de-mel! :P
    Beijocas

    ResponderEliminar
  10. Muinto obrigada para esta escapada nos Açores...faz muinto prazer ver estas paisagems cheias de sol neste dia de chuva...!
    Tinha uma imagem totalmente enganada sobre os açores, pensavo que era uma ilha seca, typo deserto!...ainda um destino a mais a ir visitar...adouro viajar e tambem descobrir a gastronomia dos meus destinos...
    Tambem deu me occasao de te ver e pareces tao sympatica que o teu blog...!
    Encore merci pour tes recettes,

    bisous

    Nathalie

    ResponderEliminar
  11. A minha Lua de Mel foi passada na Ilha de São Miguel,simplesmente adorei a Ilha, tem lugares lindissimos, ficamos no Hotel Terra Nostra nas Furnas, alugamos um acarreo e visitamos a ilha de uma ponta á outra.

    Adoro o Chá verde Gorreana, muito simpáticos os trabalhadores que nos fizeram uma visita guiada pela fábrica.

    Bom Fim de semana.

    :))
    Sónia

    ResponderEliminar
  12. Parece que o melhor é fretar um avião e viajamos todos até lá!

    Maria, o Cozido das Furnas, na minha opinião, nada tem a ver com o Cozido à Portuguesa, apesar de os ingredientes serem basicamente os mesmos. O sabor é totalmente diferente. Eu não gostei... sabe imenso a enxofre....
    Aliás, o cheiro a enxofre é mesmo muito forte em toda aquela região.
    Mas é claro que, como especialidade, deve experimentar-se para depois de opinar!
    Quando à outra questão... depois respondo por mail!!!

    Isabel, já ficas com uma ideia de como é a Ilha, só te falta agora marcar a data!!!

    Mayonnaise, a ilha é linda, verdejante e em nada se parece com um deserto!

    Sónia, nós também alugamos sempre um carro para andarmos mais à vontade e visitarmos os locais de maior interesse. É um desperdício viajar para um local tão bonito e não aproveitar ao máximo todas as belezas da ilha, e para isso só com o auxílio de um meio de transporte. As estradas de lá são muito boas (bem melhores que as da Madeira!).
    Também gostei muito da fábrica de Chá Gorreana, foi uma visita muito interessante.
    E a das plantações de ananazes também.

    ResponderEliminar
  13. essa ilha foi onde eu passei as melhores férias da minha vida, estive lá há 12 anos e adorei.
    até me emocionei ao ver as tuas fotos, pois andei por todos esses locais, tomei banho na Caldeira Velha logo ás 8h da manhã, provei de tudo o que havia para provar a nível gastronómico e vim de lá com um par de quilos a mais á conta dos bolos lêvedos (que nunca mais comi até hoje)

    trouxe na bagagem um monte de ananases, morcelas, bolos e sei lá que mais... sei que paguei um dinheirão no aeroporto por causa do excesso de peso... LOL
    mas valeu a pena pois tudo o que vem dos Açores é maravilhoso.
    adorei a tua reportagem.

    ResponderEliminar
  14. Gostei muito de seu Blog. Gostaria muito de conhecer esta região porque meu bisavô era originário de Capelas em São Miguel. Gostaria de fazer pesquisa genealógica em Ponta Delgada. Como conseguí-lo? Alguém pode iluminar-me. Palmira Luiza.

    ResponderEliminar
  15. Boa noite.

    Vi esta descrição de S. Miguel e não podia deixar de enviar um comentário.

    Visitei a ilha em Novembro de 2008 e apaixonei-me pela sua insularidade, pelas suas lagoas e pelas suas gentes... e dois meses depois...decidi mudar-me para S. Miguel e já estou por paragens micaelenses faz já mais de um ano.

    Para quem não conhece...aconselho vivamente a visitar este tesouro perdido no meio do Oceano Atlântico... De certeza que vão gostar...

    Cumprimentos
    Daniel Fernandes (Amarantino, e agora micaelense de coração)

    ResponderEliminar
  16. Adorei as fotos de são miguel, fiquei maravilhada
    com as furnas, as lagoas,as paisagens. Meu marido
    é açoriano, porém mora no Brasil a 50 anos e tal
    vez algum dia nos tenhamos a possibilidade de
    rever estes lugares tão maravilhosos!!!!!
    beijinhos
    Marly Nery

    ResponderEliminar
  17. Adorei as fotos de São Miguel!!! Moro no Brasil
    com meu marido que é de São Miguel, precisamente
    de Rosário na Lagoa. Ele veio para o Brasil à
    50 anos e nunca mais voltou. Talvez um dia voltemos, ele para rever e eu para conhecer este
    paraiso terrestre.Beijinhos
    Marly Nery

    ResponderEliminar
  18. Estamos com ideias de regressar novamente aos Açores, pois é de uma beleza inquestionável. Aconselho a todos os que tenham disponibilidade a visitarem esta ilha, tenho a certeza que se vão render aos seus encantos.

    Obrigado pelos comentários.

    ResponderEliminar
  19. Olá a Ilha é maravilhosa já cá estou à 2 anos a viver não me canso de das paisagens.
    Mas com os cortes não vou ao continente. SAUDADES,da minha terra.
    É o segundo melhor lugar do mundo para se viver.
    Ainda bem que gostou.

    ResponderEliminar

Obrigado pela visita!

Por favor assine as mensagens.
Comentários anónimos não são publicados.